quinta-feira, 24 de janeiro de 2013

Kosen Rufu


Kosen-Rufu p/ você?

Temos Kosen-Rufu do mundo, do Japão, do  Brasil, da BSGI, do Rio de Janeiro, do seu bairro.  Ainda, Kosen- Rufu do Sensei.

E o seu? É bom pensar um pouco não?

Nenhum de nós, não vamos presenciar o Kosen-Rufu  propriamente dita pelo menos nesta existência. Então, como seria sua luta de Kosen-Rufu? Nossas vidas são feitas de cada instante. Nós fazemos uma espécie de  Gokuyo desses instantes fazendo gongyo, chakubuku, visitas e atividades. Naturalmente não podemos fazer de tudo, por isso que a gente se ume com os companheiros e cada um cuida dos seus cantos. Daí a união é indispensável. Então, qual é o seu canto? O que é que você pode fazer durante duração da sua existência? Você já fez  planos?

Se você não delinear e definir seu plano de ação, o tempo passa rapidinho e quando você percebe, não dá mais tempo.

Nós aprendemos na organização, fazer plano e executar o plano com sucesso, não? ...   Naaão?!  Você está falido!

Vamos fazer o plano, vamos colocar em execução para já, se não, não dá tempo heim? Quando terminar os nossos tempos e voltamos juntos do Nitiren Daishonin, o que vamos relatar?  Como poderia explicar os nossos fracassos?  Só coçar a cabeça?  Não dá né?  Pense nisto!

Agosto de 2012.     Eiichi Sago.

 

 





Natureza do budismo.

 

"O Budismo não ensina teorias abstratas, ou um modo de vida covarde de se apegar constantemente a algo para sobreviver. Por outro lado, não torna o indivíduo egoísta a ponto de ele mesmo acreditar arrogantemente que “eu sou o dono da verdade e mereço consideração”. Se a pessoa acreditar na grandiosa força vital inerente em sua vida, simultaneamente compreenderá que a mesma força vital existe na vida de todas as outras pessoas. O Budismo ensina que devemos valorizar a vida dos outros da mesma maneira que valorizamos nossa própria vida.”

Fernando Martins. BS 02/07/11.

Janeiro de 2013.          Eiichi Sago.

Nenhum comentário:

Postar um comentário